A Organização Pan-Americana de Saúde (OPAS), emitiu um alerta para o aumento do risco de morte por doenças transmitidas por mosquitos durante a pandemia de COVID – 19. Enfermidades como Malária e Dengue, que já possuem um número extenso de casos na região se tornam ainda mais perigosas devido à sobrecarga que os serviços de saúde vêm sofrendo com a pandemia do novo coronavírus.

Recentemente, a atriz brasileira Camila Pitanga compartilhou em suas redes sociais o diagnóstico positivo que ela e a filha receberam para malária. Após muitos dias com febre alta e dores no corpo – e com testes negativos para coronavírus e dengue -, Pitanga finalmente teve a doença diagnosticada como malária. Ambas estavam em isolamento social no litoral de São Paulo, em uma área cercada de Mata Atlântica.

Mosquito na pele dehumana

A malária é causada por protozoários transmitidos pela fêmea infectada do mosquito Anopheles.

O que é a Malária?

A malária é uma doença infecciosa causada por protozoários, e transmitida pelo mosquito Anopheles. Entre os sintomas estão:

  • Febre alta
  • Calafrios
  • Tremores
  • Sudorese excessiva
  • Dores de cabeça
  • Náuseas e vômito
  • Cansaço
  • Falta de apetite.

Apesar de possuir tratamento e cura, a malária ainda atinge um grande número de pessoas em todo o mundo, e não possui ainda uma vacina 100% eficaz. Não é uma doença diretamente contagiosa, porém alguns cuidados precisam ser observados pelos médicos, ao tratarem pacientes com esse diagnóstico.

A contaminação também pode acontecer no contato com sangue e fluidos corporais infectados com a doença, seja no manejo de equipamentos contaminados ou na preparação de pacientes para procedimentos e exames.

Pacientes com quadros mais graves, por exemplo, podem apresentar crises hemorrágicas, e outros sintomas, criando uma situação propícia para a contaminação dos profissionais presentes no momento. 

Mulher calçando luvas azuis

Uma das melhores proteções para pessoas que combatem doenças infecciosas é o uso de luvas de proteção.

Não negligencie o uso das luvas

As luvas de procedimento são fundamentais para os médicos e enfermeiros tratando pacientes com quadros de malária. A taxa de mortalidade dessa doença ainda é considerada alta, e por isso deve ser vista com muita seriedade, mesmo em hospitais e centros médicos em locais isolados, áreas carentes ou em áreas indígenas.

O risco de contato com fluidos biológicos contaminados pode ser drasticamente diminuído com o uso de luvas de procedimento, como as Luvas de Procedimento Nugard. Elas criam uma barreira muito eficaz que protege o médico e o paciente de uma contaminação cruzada ocasional.

As Luvas de Procedimento Nugard são ideais para procedimentos não cirúrgicos, e podem ser utilizadas em hospitais, clínicas e laboratórios, oferecendo proteção contra riscos biológicos (como sangue e fluidos contaminados), contato com microrganismos nocivos, e durante a manipulação de materiais contaminados ou parcialmente contaminados.

Podem ser em látex 100% natural com pó ou sem pó (Nugard PF), ou também em borracha sintética nitrílica, que oferece ainda mais resistência e é amplamente indicada para os profissionais alérgicos a látex.

Conheça mais sobre a Nugard Nitrílica clicando aqui.

Os produtos da Kevenoll do Brasil possuem certificação do INMETRO e garantindo segurança, conforto e praticidade para você e para o seu paciente.

Clique e conheça os produtos Kevenoll.

Fontes: Ministério da Saúde do Brasil e OPAS/OMS